O bom servo vai ao encontro do Senhor: Pe. Estefano Gabriel Starepravo, OSBM

Упокоївся в Господі о. Стефан Стареправо, ЧСВВ (*26/05/1964 +09/05/2021)

Inesperada e rapidamente sentimos a perda de um membro da Província de São José no Brasil: Pe. Estefano Gabriel Starepravo, OSBM. No dia 9 de maio Deus bate à sua porta, convocando-o para outros propósitos em Seu Reino. Nós, como peregrinos neste plano terreno, inquietamo-nos diante do mistério da morte, mas ela é um fato, cedo ou tarde ela chega e nossa natureza humana sente e isso é natural, sentimos porque amamos.  Perder quem está ao nosso lado dói, é uma questão difícil, vivemos uma vez e morremos uma vez, experimentamos esse fato de alguma forma na morte de outros, principalmente quando esse outro é próximo de nós, por isso, compreender este fato somente através do raciocínio humano é difícil. Porém, na vida do cristão, por mais que a dor da separação física seja difícil de suportar, a ressureição, o reencontro e a vida eterna trazem o conforto para a alma. Isso é a nossa profissão de fé! Cremos em um mundo novo, pois o Cristo Ressuscitou e com Ele ressuscitaremos! Por mais que passemos por um vale de lágrimas, não podemos esquecer para onde nós também estamos indo, pois todos fomos feitos para o céu. Lá onde Deus pode enxugar nossas lágrimas e nunca mais haverá dor, fome, morte, tragédia, doença, nunca mais haverá morte porque seremos um só com Deus, e Ele será uma realidade única e eterna na vida de cada um de nós!

Nossa Província Basiliana de São José no Brasil agradece a Deus pelo dom da vida do Pe. Estefano, e a Ele pede que conceda a este bom servo um lugar de repouso tranquilo na companhia dos justos e santos.

Дякуємо, дорогий отче за все за ваше служіння в Чині, в Провінції Св. Йосифа і в Церкві. Вічний упокій подай Господи о. Стефану!

Pe. Estefano Wonsik, OSBM.

 

Palavras do Superior Geral no funeral do Pe. Estefano na sede geral da Ordem Basiliana em Roma:

(tradução própria do ucraniano)

 

Excelência Reverendíssima Dom Irineu,

Excelência Reverendíssima Dom Dionísio,

Reverendíssimos padres, irmãos, estimada família e fieis.

Cada celebração da transição para a vida eterna é cheia de sentimentos e mistérios, mas a passagem do Padre Estefano é especial porque levamos em conta o fato de que ele pessoalmente e prematuramente conseguiu compartilhar o sofrimento de milhões de pessoas que foram vítimas da pandemia. Aos 57 anos, 36 anos de vida consagrada, 27 anos de sacerdócio.

Hoje, as palavras de Jó, as palavras que expressam o desejo mais secreto e verdadeiro de todo ser humano, ou seja, ver Deus, encontram plena realização. Este desejo de ver a Deus tornou-se uma oportunidade para Jó entrar em comunhão com Ele, para estabelecer uma relação de amor com Ele, no qual e para o qual tudo se reproduz no novo. Estas palavras, este desejo, estão imbuídas do mistério dAquele que João representa como “Alfa e Ômega, Princípio e Fim”, isto é, TUDO.

Estamos reunidos em oração para acompanhar nosso querido padre Estefano para a eternidade. Mas também é necessário destacar os laços profundos que o uniam à sua família Basiliana, à qual dedicou todas as suas energias como pessoa; sua reverente sintonia com a Igreja de Cristo, a cujo serviço se dedicou. Em particular, é comovente e grato para mim pessoalmente recordar a longa e comum forma de cooperação realizada no Pontifício Colégio Ucraniano de São Josafat, de início como vice-reitor, distinguiu-se no serviço de educador, com grande devoção, intuição, grande altruísmo. E posteriormente como Reitor.

A comunidade Basiliana de Roma, apreciou profundamente seu trabalho como Conselheiro Geral, Representante Legal e Procurador. Sendo também Capelão das Irmãs Servas de Maria Imaculada, onde diariamente presidia a Divina Liturgia, Diretor Espiritual das Irmãs Catequistas de Santa Ana, Pároco da comunidade dos fiéis ucranianos de Rieti, onde visitava todos os domingos, e, mais recentemente, o Vigário do Exarcado dos Católicos Ucranianos na Itália.

Em pé ао lado do caixão de nosso querido padre Estefano, pode nos parecer o fim de tudo, e a morte parece uma rocha inviolável na qual todas as esperanças humanas se despedaçam, parece que os sonhos e esforços de uma pessoa desaparecem no vazio, deixando apenas uma ferida profunda no coração especialmente de sua família, mãe, irmãs e irmãos e confrades de Ordem. É possível que esse tenha sido o fim? Não, isso é apenas o que parece nos lembrar a Palavra de Deus, porque a realidade é bem diferente. O livro da Sabedoria ensina: “As almas dos justos estão nas mãos de Deus, nenhum tormento os atingirá. Aos olhos dos tolos, eles pareciam morrer; sua partida de nós é uma ruína, mas,eles estão em paz”. Nesta expressão  sentimos  a ternura paterna e maternal de Deus, que na eternidade saúda a alma do seu filho.

Neste momento,  nosso pensamento dirige-se à sua família, que lhe deu uma formação humana e cristã concreta, que se completou com sucesso com a dedicação a Deus, bem como a todos os seus educadores. Nossas orações e condolências a toda sua família, amigos…

 

Уривок з проповіді Отця Протоархимандрита на похороні бл. пам’яті о. Стефана Стареправо, ЧСВВ в Римській Василіянській обителі

Стоячи біля домовини нам дорогого о. Стефана, це нам може здаватись кінцем усього, а смерть виглядати як непорушна скеля, на якій розбиваються усі людські надії, здається, що мрії та зусилля людини зникають у порожнечі, залишаючи лише глибоку рану в серцях тих, хто ввійшов у вир любові цієї людини, яка покидає нас, особливо його сім’ї, матері, сестер та братів, співбратів по-Чину. Чи можливо, щоб це був кінець? Ні, це лише те, що здається, нагадує нам слово Боже, бо реальність є зовсім інша бо: «Душі праведних у Божих руках, ніяка мука їх не торкнеться. В очах дурнів вони ніби вмирали; їхній відхід від нас – це руїна, але, як каже нам книга Мудрості: “вони в мирі”. У них глибокий і заспокійливий внутрішній спокій: “Душі праведних знаходяться в руках Бога, і ніякі муки не торкнуться їх”.

 

Palavras de Sua Excelência Reverendíssima Dom Dionísio Lachovicz, OSBM, Bispo Exarca para os ucranianos católicos na Itália.

(tradução própria do ucraniano)

Estimados padres, irmãos e irmãs!

Com grande dor no coração e com profunda esperança de ressurreição, despeço-me de meu coirmão na Ordem, meu formando, amigo íntimo e até mesmo meu guardião em meus problemas. Estou perdendo junto com todo Exarcado o vigário geral. Assim, recebemos um advogado diante do Senhor no difícil estabelecimento da estrutura do Exarcado.

Conheci muito bem o falecido André, pai do padre Estefano, que presidia o comitê da igreja durante meu ministério pastoral em Marcelino, região onde foi construída uma igreja semelhante à de Zarvanytsia. Conheço também sua piedosa mãe Elena, e todos os irmãos e irmãs, entre eles, Monica, religiosa na Congregação das Irmãs Servas de Maria Imaculada. Todas as crianças receberam uma educação cristã profunda.

Ainda como superior, coloquei a prova o jovem estudante Estefano, o que o ajudou a se tornar um religioso e sacerdote fiel. Durante seus estudos em Curitiba, o Padre Estefano cuidou dos pacientes que nosso seminário recebia vindos de localidades próximas e os acompanhou aos hospitais apropriados. E essa ajuda aos necessitados trouxe grandes bênçãos ao seminário.

Em dezembro de 1996, enquanto estava na missão de Superior Geral da Ordem de São Basílio Magno, convidei o Pe. Estefano ao serviço de vice-reitor no Pontifício Colégio Ucraniano São Josafat que, desde então viveu em Roma, servindo também como reitor do mesmo colégio, conselheiro da Cúria Basiliana e primeiro vigário geral do recém criado Exarcado, bem como pastor da comunidade ucraniana em Rieti.

Um fiel servo de Deus, alegre, trabalhador, verdadeiro amigo, partiu de nós aos braços de Deus Pai. Fica em mim a lembrança do seu último sorriso. Ninguém então poderia dizer que seria o último …

Eterna memória!

Coirmão, Dom Dionísio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *