GRÁFICA PRUDENTÓPOLIS

GRÁFICA PRUDENTÓPOLIS

Desde o início, na sua missão no Brasil, os padres basilianos preocuparam-se com o apostolado da imprensa, da palavra escrita. Nos primeiros tempos, muita coisa desse teor era trazida da Ucrânia (e da Polônia): livros e outros materiais de natureza religiosa e cultural em geral.

Mas, lhes seria muito útil contar com recursos para publicar impressos aqui mesmo, no Brasil. E esse objetivo foi atingido, até bem em pouco tempo. Em 1909, o missionário Pe. Marciano Shkirpan viaja para a Europa e adquire em Viena uma máquina impressora. O padre conseguiu trazê-la para o Brasil e a instalou em Curitiba. Em Curitiba, a partir do início de 1910, começa a ser publicado em língua ucraniana o periódico católico bimensal “Prapor” (“Bandeira”). No ano seguinte, a impressora é levada pelos padres para Prudentópolis, onde é montada uma pequena gráfica. O “Prapor” parou de ser publicado em julho de 1911.

Mas, com o início de 1911, surge em Prudentópolis um novo periódico: o “Missionar” (“Missionário”) que é de caráter essencialmente religioso, dirigido principalmente para os membros do Apostolado de Oração. É publicado mensalmente. O “Missionar”, nos seus inícios, atingiu um alto nível de qualidade, tendo assinantes entre os ucranianos até fora do país, na Argentina, Canadá, Estados Unidos e mesmo na Europa.

A publicação do “Missionar” foi interrompida em 1917 quando, no contexto dos conflitos mundiais, o governo brasileiro proibiu todas as publicações em língua estrangeira no pais. O “Missionar” só voltou a ser publicado em 1932.

No final de 1912 aparece um novo periódico em língua ucraniana, publicado pelos Padres Basilianos em Prudentópolis: o jornal “Prácia”. Começa a ser publicado a cada duas semanas, depois, por algum tempo, saía semanalmente, e hoje sua periodicidade é mensal. “Prácia” tem um conteúdo de caráter mais amplo, conservando sempre sua orientação católica, orientado ao público de rito ucraniano.

Tanto o “Missionar” como o “Prácia” resistem heroicamente ao tempo, continuam “vivos” até os dias de hoje. Hoje, por força das circunstâncias, principalmente devido a conhecimento cada vez mais limitado da língua ucraniana, os dois periódicos tornaram-se bilíngues, mas continuam servindo aos seus leitores, trazendo boas coisas para alimentar seu espírito.

Mais informações no site da Gráfica: www.graficaprudentopolis.com.br